Home AAN 2021 - Notícias Tremor essencial: pacientes tratados pessoalmente e por telemedicina com terapia de neuromodulação...

Tremor essencial: pacientes tratados pessoalmente e por telemedicina com terapia de neuromodulação não-invasiva

- Publicidade -

Estudo sugere ausência de diferenças significativas entre o atendimento à distância e presencial, confirmando a eficácia da telemedicina  

Por Abner Judson Pereira Torres, aluno de graduação em medicina UniNove – Iniciação científica – com supervisão de Dr. Renato Anghinah (CRM 67144) 

A telemedicina vem, a cada ano, ganhando relevância na prática clínica e na literatura. E, em meio à pandemia, se desenvolveu ainda mais. No AAN Annual Meeting 2021, um dos trabalhos de destaque foi o estudo “Essential tremor patients managed through in-person and telemedicine have similar experiences with prescribed non-invasive neuromodulation therapy”. O autor Salima Brillman analisou dados de acelerômetros contidos em um aparelho colocado no pulso do paciente, chamado Transcutaneous Afferent Patterned Stimulation (TAPS), pertencente à Cala Health (Burlingame, CA, USA). O aparelho funciona medindo a intensidade do tremor do paciente durante e após sessões terapêuticas de neuromodulação não-invasiva. 

O ensaiou reuniu 265 pacientes que usaram o dispositivo por no mínimo 30 dias, com pelo menos dez sessões de neuromodulação e coleta de dados válida para análise. Dos participantes, 13 tiveram a consulta realizada apenas à distância. Apesar da falta de paridade na distribuição dos pacientes na modalidade de atendimento, o uso do aparelho em ambas as coortes foi muito similar, tanto em período, como em frequência de uso (1 a 2 sessões por dia, com mediana de 2,6 dias por semana).  

Após a coleta de dados, 88% de todos os pacientes e 77% dos pacientes atendidos por telemedicina (comparando os dois grupos, p=0,24) mostraram diminuição da intensidade do tremor durante as sessões com maiores crises. Ao analisar a intensidade do tremor no decorrer de todas as sessões, 53% de todos os pacientes e 31% dos pacientes atendidos por telemedicina (comparando os dois grupos, p=0,12) mostraram sinais de redução. 

Portanto, os dados sugerem ausência de diferenças significativas entre o atendimento à distância e presencial, confirmando a eficácia da telemedicina e ressaltando a importância do desenvolvimento contínuo dessa tecnologia, principalmente neste momento crítico, no qual o distanciamento social é necessário. 

Referência  

  1. BrillmanSalima. “Essential tremor patients managed through in-person and telemedicine have similar experiences with prescribed non-invasive neuromodulation therapy”, Poster Session, abstract 011, AAN2021. 

 

 

Aviso Legal: Todo conteúdo deste portal foi desenvolvido e será constantemente atualizado pela Oncologia Brasil, de forma independente e autônoma, sem qualquer interferência das empresas patrocinadoras e sem que haja qualquer obrigação de seus profissionais em relação a recomendação ou prescrição de produtos de uma das empresas. As informações disponibilizadas neste portal não substituem o relacionamento do(a) internauta com o(a) médico(a). Consulte sempre seu médico(a). 

 

- Publicidade -
MDHealth Educação Médica Independente
Somos a 1ª empresa de educação médica independente do Brasil e América Latina, provendo soluções para profissionais e empresas que atuam na área da saúde.
- Publicidade -

Mais Lidas

- Publicidade -

Notícias Relacionadas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site usa cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.