Como comparar o peso do envelhecimento populacional entre países? 

Escrito por: Hugo Farah em 15 de junho de 2022

3 min de leitura

Razão de dependência ajustada por idade como nova medida do fardo de envelhecimento 

O envelhecimento populacional pode gerar um fardo para a sociedade se houver maior dependência dos idosos para com a população mais jovem. Índices tradicionais como a razão de dependência da velhice (OADR) tendem a delimitar um ponto de corte a partir do qual as pessoas passam a ser mais dependentes de forma universal. OADR, índice mais utilizado, é a razão de indivíduos ≥ 65 anos em relação à população trabalhadora (20 – 64 anos). No entanto, a relação entre a idade cronológica e dependência senil apresenta alta variação de acordo com o país avaliado. Então, um estudo publicado na revista The Lancet sugere a razão de dependência ajustada por idade (HADR) como um novo índice para avaliar o fardo do envelhecimento populacional. 

 O estudo ecológico utilizou dados de saúde de 2017 do projeto “Global burden of Disease” (GBD) e dados populacionais de 2017 provenientes da divisão populacional das Nações Unidas. O intuito foi identificar o número de adultos > 20 anos em cada país que apresentassem carga de doença relacionada à idade igual ou superior à média global para indivíduos com 65 anos. Então, foi calculado o HADR como a razão de adultos menos saudáveis que a média para 65 anos (população dependente) para aqueles com melhor saúde (população de suporte). Em seguida, comparou-se o HADR ao OADR para 188 países. Além disso, foi realizada análise seccional com regressão bivariada para investigar se HADR seria um preditor mais fidedigno para mudanças nas despesas per capita em saúde do que o OADR. 

A análise indica que muitos países com uma população mais senil cronologicamente, como Japão e Holanda, na verdade apresentam menor fardo relacionado à velhice devido à ocorrência mais tardia de doenças relacionadas à idade. Além disso, populações mais jovens tenderiam a apresentar início precoce de doenças relacionadas à idade. O Paquistão, por exemplo, apresenta OADR 0.09 e HADR 0.19 enquanto a França apresenta OADR 0,35 e HADR 0,13.  

Em comparação ao OADR, o HADR indica que Ásia, Europa ocidental e América do Norte apresentam menor fardo com envelhecimento enquanto Ásia central, Sul asiático e África apresentam maior fardo. Além disso, a comparação entre índices indica que há uma variação entre países no fardo de envelhecimento muito menor do que antes se supunha. HADR foi mais associado a aumento no gasto em saúde do que o OADR. Um aumento de 0,1 no HADR foi associado a um aumento de 2.9 pontos percentuais em gasto per capita (p = 0,0001) enquanto o aumento de 0,1 em OADR foi associado a um aumento de 1,8 pontos percentuais. 

Os autores concluem que o índice OADR provavelmente superestima o fardo da população em envelhecimento em muitos países com demografia mais senil enquanto subestima em países demograficamente mais jovens. Isso implicaria em desafios com o avanço da idade de forma mais universal do que antes prevista, sendo que globalmente a divisão simplória entre nações mais jovens ou senis não seria adequada para estudo do envelhecimento populacional.  

Referência

  1. V Skirbekk. The health-adjusted dependency ratio as a new global measure of the burden of ageing: a population-based study. Lancet 2022 vol 3 doi 10.1016/S2666-7568(22)00075-7 

Sobre o autor

Hugo Farah

Acadêmico de Medicina da UFRJ